ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Empresário suplicou para ficar vivo, diz denúncia do MPCE contra irmãos por latrocínio em Fortaleza

 


O empresário Anderson Luís Kowalski, de 46 anos, suplicou aos assaltantes para ficar vivo, mesmo assim foi esfaqueado até a morte, em Fortaleza. É o que afirma a denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE) contra dois irmãos pelo latrocínio, entregue à Justiça Estadual no último domingo (21).

José Lucas Martins da Silva, de 23 anos, e Levi Martins da Silva, 19, foram acusados pelo MPCE por roubo seguido de morte (latrocínio), crime que tem pena de 20 a 30 anos de reclusão. A dupla se encontra presa preventivamente, no Sistema Penitenciário cearense.

Na denúncia, o Ministério Público reforçou a suspeita da Polícia Civil do Ceará (PC-CE) que os irmãos agiram "com um comparsa desconhecido". Ao indiciar a dupla, a 7ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) pontuou que continuará a investigar a participação de um terceiro suspeito e outra motivação para o crime além de uma vingança por dívida financeira.

VEJA O VÍDEO DA PRISÃO

Anderson Kowalski foi roubado e morto na sua residência (onde também funcionava como sede para a sua empresa de eventos), no bairro Sabiaguaba, em Fortaleza, na manhã de 8 de agosto deste ano. "Conforme os autos, os denunciados planejaram a execução do delito. Para isso, permaneceram em uma residência abandonada próxima ao local do crime para sua realização, de onde observaram por 4 dias o momento oportuno para a concretização do delito", narra a denúncia.

Ainda segundo o MPCE, "ambos invadiram a residência da vítima, oportunidade em que renderam dois funcionários que trabalhavam no local e se armaram com facas, amarrando a vítima com os braços para trás e colocando um pano na cabeça de Anderson, exigindo as senhas dos cartões de crédito e a senha para desbloqueio do celular".

Em seguida, passaram a desferir golpes de facas na vítima, que suplicava por sua vida. Em razão da violência, Anderson faleceu no local. Após o crime, os indivíduos empreenderam fuga no veículo da vítima, no qual foram capturados posteriormente."
MINISTÉRIO PÚBLICO DO CEARÁ
Em denúncia

'NÃO ME MATA, NÃO!', PEDIU VÍTIMA

Uma testemunha do latrocínio contou à Polícia que Anderson implorou aos criminosos para ter a sua vida poupada. "Cara, eu gostava tanto de você! Eu fiz de tudo para ajudar você e sua família. Você tem um filho pequeno assim como eu. Não me mata, não!", teria dito a vítima.

"É, ele deu uma mixaria para minha mãe e acha que ia ficar por isso mesmo", teria respondido um dos suspeitos, segundo a mesma testemunha.

Antes do empresário ser morto, José Lucas e Levi Martins exigiram a senha de dois cartões bancários da vítima. E, após cometerem o crime, os irmãos passaram em lojas para comprarem 6 pares de tênis e várias blusas.

PERSEGUIÇÃO POLICIAL E PRISÃO DA DUPLA

Ao chegarem no galpão, outros funcionários da empresa de Anderson Luís se depararam com a cena de crime, com três homens amarrados, e acionaram a Polícia. Uma ambulância também foi enviada ao local para prestar socorro ao empresário, mas ele já estava morto.

Equipes do 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), com o apoio do Sistema Agilis e do Núcleo de Videomonitoramento da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), localizaram o veículo roubado, o que iniciou uma perseguição.

Os suspeitos foram abordados na Avenida Washington Soares, em frente a um shopping. Com eles, foi apreendido o veículo da vítima, os cartões de crédito, a televisão e os produtos comprados com o dinheiro da vítima.

José Lucas e Levi Martins foram levados à DHPP, onde foram autuados em flagrante por latrocínio. O primeiro suspeito já tinha passagem pela Polícia por crime ambiental.



nanomag

Radialista Publicitario e Líder dos movimentos sociais.


0 thoughts on “Empresário suplicou para ficar vivo, diz denúncia do MPCE contra irmãos por latrocínio em Fortaleza

    Comente! Expresse sua opinião sobre o assunto ou sobre a dinâmica do site e nos ajude a evoluir!