ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Search

Naufrágio em Belém: 11 mortes são confirmadas e 8 pessoas seguem desaparecidas, diz governo

Vídeo mostra embarcação naufragando em Belém
Ativar som

Vídeo mostra embarcação naufragando em Belém

O naufrágio de uma lancha que transportava passageiros da Ilha do Marajó para Belém nesta quinta-feira (8) deixou 11 pessoas mortas e 8 desaparecidas. A embarcação transportava 82 pessoas e 63 conseguiram ser resgatadas com vida, informou o Governo do Pará durante coletiva de imprensa.

No início da tarde, a Marinha e a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) diziam que o barco transportava 70 pessoas e que 14 tinham morrido e 30 tinham sido resgatadas. Os números foram corrigidos só após a coletiva.

A lancha não possuía autorização para transporte intermunicipal de passageiros e saiu de um porto clandestino, segundo a Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado do Estado do Pará (Arcon-Pa).

A busca por desaparecidos envolveu mergulhadores e durou até a noite desta quinta-feira (8). Ao menos nove embarcações e um helicóptero foram usados. A procura pelas 8 pessoas desaparecidas deve ser retomada nesta sexta (9).

Imagens que circulam em redes sociais e gravadas por um passageiro mostram quando a água começa a entrar no barco - veja no vídeo acima. A Marinha diz que vai investigar o naufrágio.

A embarcação fazia o trajeto entre a localidade de Camará, na cidade de Cachoeira do Arari, no arquipélago de Marajó, para Belém .O naufrágio ocorreu próximo à Ilha de Cotijuba, por volta de 9h30.


A lancha Santa Lourdes é da empresa M. Souza Navegação, que já havia sido notificada pela Arcon por operar sem autorização. O g1 procurou a empresa e aguarda retorno. A causa do naufrágio não foi informada pelas autoridades.

O homem responsável pela lancha que naufragou foi identificado como Marcos de Souza Oliveira. Segundo as investigações ele sobreviveu ao naufrágio, mas ainda não foi encontrado.

Embarcação naufraga em Belém e deixa mortos e desaparecidos
--:--/--:--

Embarcação naufraga em Belém e deixa mortos e desaparecidos

"A Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado do Estado do Pará (Arcon-Pa) informa que já havia notificado a empresa responsável pela embarcação e comunicou a Capitania dos Portos sobre a irregularidade do transporte aquaviário que estava sendo realizado. A embarcação não possui autorização para realizar transporte intermunicipal aquaviário de passageiros junto ao órgão estadual e realizou a viagem partindo de um porto clandestino na localidade de Camará, Marajó", informou a agência em nota.


Em nota, a Marinha informou que "equipes de Inspetores Navais da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) e do Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Xingu” estão realizando buscas no local".

Leia mais:

Após naufrágio na região de Belém, praia na Ilha de Cotijuba estava sendo usada para receber resgatados nesta quinta-feira  — Foto: Redes sociais/Reprodução

Após naufrágio na região de Belém, praia na Ilha de Cotijuba estava sendo usada para receber resgatados nesta quinta-feira — Foto: Redes sociais/Reprodução

O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou por meio de um vídeo divulgado nas redes sociais que foi criado um gabinete de crise de segurança para acompanhar as ações do naufrágio. O governador suspendeu a agenda desta quinta-feira (8) em Redenção, no Sul do Pará, para voltar a Belém.

A Secretaria de Saúde de Belém (Sesma) está prestando atendimento aos resgatados. "O Serviço Atendimento Móvel Urgência (Samu) está na área, por meio da ambulancha e das ambulâncias, ajudando no resgate das vítimas do acidente", informou em nota.

Segundo a prefeitura de Belém, os sobreviventes estão sendo levados à Unidade Básica de Saúde (UBS) da Ilha de Cotijuba e para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Icoaraci e da UBS Marambaia, as duas na região continental da capital paraense.



nanomag

Radialista Publicitario e Líder dos movimentos sociais.


0 thoughts on “Naufrágio em Belém: 11 mortes são confirmadas e 8 pessoas seguem desaparecidas, diz governo

    Comente! Expresse sua opinião sobre o assunto ou sobre a dinâmica do site e nos ajude a evoluir!